Arquitetura corporativa: por que é tão importante?

É muito comum as pessoas sonharem com detalhes da casa / apartamento. Ao passar por lojas de móveis e artigos de decoração, logo imaginam estes itens na sala, quarto, no seu "canto".

Porém, no dia-a-dia é habitual passar mais horas ativas no trabalho do que em casa e o espaço de trabalho já não é tão idealizado por muitos. Seja por quem é empregado e talvez não se sinta "acolhido" por este local, seja por quem é dono de um negócio, que não faz tantos planos para estes espaços.

A Arquitetura Corporativa é capaz de valorizar o espaço de trabalho de diversas maneiras e assim, fazer com que o ambiente de uma empresa fique mais confortável e agradável. Mas, como isso acontece?

Identificação da marca

A Arquitetura Corporativa tem o princípio de fortalecer a marca. Isso acontece desde o conceito do projeto com a valorização das cores da empresa, a logomarca evidenciada, a opção de um estilo de decoração que tenha a ver com o posicionamento do negócio.

Por exemplo, escritórios de advocacia geralmente procuram por espaços mais clássicos, sóbrios e formais; empresas de marketing ou que envolvam algum tipo de processo criativo já permitem ambientes mais descontraídos e informais; consultórios podem optar pelo estilo clássico ou moderno porém, muitos prezam pela sensação de conforto e acolhimento. São estas determinadas sensações que cada tipo de empreendimento quer passar para os clientes que definem um posicionamento da empresa e direcionam o projeto arquitetônico.

Sede da Uber em São Francisco, Califórnia / EUA

Projeto: Studio O+A and MASHStudios

Foto: Jasper Sanidad

Conforto termo-acústico

Um ponto a ser priorizado no projeto de espaços corporativos é o conforto térmico e acústico de cada ambiente. Algumas estratégias são essenciais como a análise das fachadas do espaço e a orientação solar. A fachada oeste é aquela que recebe o "sol da tarde". Imagine a seguinte situação: um funcionário trabalhando na sua mesa localizada próxima a uma janela que recebe toda a luz (e calor) do sol às 15 horas. Com um bom projeto de arquitetura esta situação pode ser amenizada, por exemplo, por uma disposição de layout diferente, de forma que as mesas não recebam a insolação direta. Além disso, uma proteção contra a incidência solar em determinadas horas do dia, como brises, cortinas ou vidros com proteção solar, pode reduzir (ou até bloquear) os efeitos desta radiação.

Também pode-se citar outras análises importantes como o estudo do sistema de ar condicionado mais adequado para o espaço, a análise das aberturas e propostas que visem um maior aproveitamento da ventilação natural e cuidados com tipos de materiais que permitem uma qualidade acústica dos ambientes de trabalho.

Iluminação

A boa iluminação no ambiente corporativo tem um papel tão importante que merece ser citada individualmente. Nestes espaços, as pessoas costumam ficar cerca de 6 a 8 horas por dia. Uma má iluminação atrapalha o desempenho e rendimento das atividades e pode levar a complicações para a saúde como dores de cabeça e problemas de visão.

Cada tipo de atividade exige um nível de iluminação que deve ser alcançado. O ideal é uma eficiente integração entre os sistemas de iluminação natural e artificial, evitando reflexos e ofuscamentos. Dessa forma, durante o dia a iluminação solar é aproveitada ao máximo e no período noturno, a iluminação artificial deve alcançar os níveis exigidos por norma.

Alguns cuidados com a temperatura de cor das lâmpadas usadas em cada tipo de espaço também devem ser tomados. A temperatura de cor que corresponde a uma luz de tom mais amarelado traz uma sensação de conforto, podendo levar até a sonolência. Por isso, ela não é adequada para as áreas de trabalho, salas de reunião e de atividades que exigem alerta. Dentro do mundo corporativo, ela poderia ser usada em espaços de descanso, descompressão, ambientes que tem o objetivo de "desacelerar" seus funcionários. Para os espaços de trabalho as lâmpadas mais adequadas são aquelas com temperatura de cor que produzem uma luz em tom neutro ou branco.

Sala de projetos - empresa No Clima

Projeto: M2 Arquitetura Interiores & Sustentabilidade

Foto: Luiza Villarroel

Preocupação com a ergonomia

A ergonomia é a otimização das condições de trabalho humano e deve ser considerada desde a concepção do projeto de Arquitetura Corporativa. Os espaços devem ser funcionais e práticos, a locomoção dos usuários dentro dele deve ser simples e bem definida.

Os mobiliários tem um papel importante nesta etapa. Mesas e cadeiras com alturas reguláveis são essenciais considerando que os funcionários tem alturas diferentes. As mesas precisam ter o espaço necessário para abrigar o computador e/ou ferramentas de trabalho e embaixo, um espaço que permita que seu usuário estique as pernas.

Imagem: 07 erros no escritório

Fonte: Núcleo Health Care

Cuidados com as cores e estampas

Já falamos anteriormente sobre a identificação da marca dentro da Arquitetura Corporativa. Porém, alguns cuidados são importantes como o uso excessivo de cores fortes ou desenhos. As pessoas que ocupam este espaço passam longas horas ali, o excesso de informações no ambiente através da decoração pode causar cansaço visual.

Distribuição dos espaços

Cada empresa terá um posicionamento e um programa de necessidades específico. Atualmente, a tendência dos espaços corporativos são grandes áreas compartilhadas que proporcionam uma maior interação da equipe e em muitos casos, melhor aproveitamento de layout. Ainda assim, ambientes como sala de reuniões ou espaços que pedem um maior grau de privacidade permanecem separados da maioria.

Campfire’s Hong Kong Coworking Space

Projeto: Studio Cassels

Imagem: Office Lovin

Campfire’s Hong Kong Coworking Space

Projeto: Studio Cassels

Imagem: Office Lovin

Outra categoria são os espaços de convivência ou descompressão que são locais mais descontraídos dentro das empresas, para descanso de seus funcionários, interação e que incentivam a criatividade e a discussão de novas ideias.

Campfire’s Hong Kong Coworking Space

Projeto: Studio Cassels

Imagem: Office Lovin

Fizemos uma publicação em nosso blog específica sobre estes espaços de descompressão, se quiser saber mais, é só clicar aqui.

Sustentabilidade

Por último mas, não menos importante, é possível aplicar princípios de sustentabilidade no ambiente corporativo. Um dos maiores impactos é no sistema de iluminação que pode ser todo projetado em lâmpadas de LED, elas podem proporcionar até 80% de economia de energia quando comparadas aos demais modelos.

Medidas que facilitam a economia de água como o uso de válvulas dual flux em vasos sanitários ou a instalação de arejadores nas torneiras também devem ser consideradas.

Além disso, um trabalho de conscientização entre as pessoas que trabalham na empresa pode surtir efeitos satisfatórios por exemplo, com relação a economia de energia através de redução de lâmpadas acesas em excesso ou ar condicionado ligado em ambientes vazios; a separação do lixo para a coleta seletiva e a redução no desperdício de água.

O conjunto dos fatores aqui citados associados ao projeto de arquitetura levam a um aumento de produtividade da empresa, uma equipe mais motivada e que se sente "acolhida" pelo seu local de trabalho.

A Arquitetura Corporativa facilita a rotina das empresas, tornando os espaços eficientes e confortáveis, independente da escala do empreendimento.

Se interessou por esta área e quer saber um pouco mais? Dê uma olhada nestas matérias relacionadas:

Curtiu? Entre em contato com a gente e vamos conversar sobre o seu projeto!


#arquiteturacorporativa #arquitetura #arquiteturacomercial #arquiteturaempresarial #ergonomia #marca #negócio #designcorporativo

M2 Arquitetura Interiores & Sustentabilidade | (31) 99800-0372 | (31) 99266-1513  ola@m2arquiteturaeinteriores.com

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle